Eu não preciso ser reconhecido por ninguém,
A minha glória é fazer com que conheçam a Ti.
E que diminua eu, pra que tu cresças Senhor, mais e mais.

E como os serafins que cobrem o rosto ante a Ti,
Escondo o rosto pra que vejam Tua face em mim,
E que diminua eu, pra que Tu cresças Senhor, mais e mais...

No Santo dos santos, a fumaça me esconde, só Teus olhos me vêem.
Debaixo de Tuas asas, é o meu abrigo, meu lugar secreto,
Só Tua graça me basta e Tua presença é o meu prazer.

Eu não preciso ser reconhecido por ninguém,
A minha glória é fazer com que conheçam a Ti.
E que diminua eu, pra que Tu cresças, Senhor, mais e mais.

E como os serafins que cobrem o rosto ante a Ti,
Escondo o rosto pra que vejam Tua face em mim,
E que diminua eu, pra que Tu cresças Senhor, mais e mais...

No Santo dos santos a fumaça me esconde, só Teus olhos me vêem.
Debaixo de Tuas asas, é o meu abrigo, meu lugar secreto,
Só Tua graça me basta e Tua presença é o meu prazer.

No Santo dos santos a fumaça me esconde, só Teus olhos me vêem.
Debaixo de Tuas asas, é o meu abrigo, meu lugar secreto,
Só Tua graça me basta e Tua presença é o meu prazer.

Tua presença... Tua presença é o meu prazer!
Tua presença... Tua presença é o meu prazer!
Tua presença... Tua presença é o meu prazer!
Tua presença... Tua presença é o meu prazer!

No Santo dos santos a fumaça me esconde, só Teus olhos me vêem
Debaixo de Tuas asas, é o meu abrigo, meu lugar secreto,
Só Tua graça me basta e Tua presença é o meu prazer.

Vídeo incorreto?