Acende uma chama
É o som de um samba
Que chega nas ondas da noite pra mim
Dizendo que a história nos ensina
E um amor assim ninguém domina

Se há um tempo de amargura
Pode haver a desventura
De um samba sem calor
Mas nada se conserva eternamente
Depois a gente se vê amor

Quem pode viver sem amor
Até pensei que o meu samba se perdeu
Mas o samba se transforma como a vida
Assim com esta chama de amor
Que não morreuVinhos finos... cristais
(Paulinho da Viola - Capinam)

Vinhos finos cristais
Talvez uma valsa
Adoecendo entre os dentes da noite
Vidro, espelho, imagem
O corpo adormecendo entre os dentes da vida
Imagem partida
Sangue
E o amor doente entre os dentes da saudade
Da morte, da engrenagem
As mãos doentes entre os dentes
Entre os dentes de um cão
O corpo fino, cristais
O quarto limpo, metais
Entre os dentes da paixão
Chão, caixão, escada
Apenas um jogo de palavras
Entre tudo e nada
Entre os dentes podres da canção

Vídeo incorreto?