O mundo gira
Nas patas do meu cavalo
Pra poder viver da lida
Eu vivo fazendo atalho

Sou fazedor,
Não sou grande nem pequeno
Dizem que sou mais ou menos
No riscado do amor

Eu vivo aos trancos
Neste ofício sonhador
Sou arteiro, saltimbanco,
E um pouco cantador

(Não quero não
Qualquer coisa de valor
O aplauso é o meu pão
E a vida é meu amor

Eu vivo assim
Num constante upa-upa
Com a viola na garupa
E o sul no coração

Eu tenho o sul no coração
Eu tenho o sul no coração
Eu tenho o sul no coração
Eu tenho o sul no coração...)

A morte é certa
Mas a vida pede bis
Eu nasci pra fazer festa,
Cantar verso e ser feliz

Por onde chego
Me apresento cantador
Faço a cama de pelegos
E uma trova pra uma flor

Eu sou do povo,
Trago o sul dentro da alma
Quem quiser me ouvir de novo
Só precisa bater palmas

(Não quero não
Qualquer coisa de valor
O aplauso é o meu pão
E a vida é meu amor

Eu vivo assim
Num constante upa-upa
Com a viola na garupa
E o sul no coração

Eu tenho o sul no coração
Eu tenho o sul no coração
Eu tenho o sul no coração
Eu tenho o sul no coração...)

Vídeo incorreto?