Pratico da minha história, dei um pulo na memória e de resumo eu me encontrei, hei, hei, do meu tempo de menino das coisas que mais brinquei, do meu cavalo-de-pau, reco-reco e berimbau, foi assim que eu me criei, hei, hei, meu pião de goiabeira que roncava na ponteira quantas vezes eu fabriquei. Se foi, não volta mais, já fui menino hoje sou pai. Se foi, não volta mais, já fui menino hoje sou pai.
Fala: (Quero mandar um abraço pra todas crianças desse brasilzão meu abençoado um chero no oi de cada um).
Baladeira no pescoço, pequenino e couro grosso foi assim que eu me criei, hei, hei
(fala: dá uma saudade de quando eu era menino né mainha) sempre pra fazer bonito o meu rei de carrapicho quantas vezes eu estralei. Se foi, não volta mais, já fui menino hoje sou pai. Se foi, não volta mais, já fui menino hoje sou pai.
Inda me lembro do meu tempo de criança nunca me sai da lembraça com vontade de brinca, quando eu brincava com pião de boiadeiro que roncava na ponteira lá no fundo do quintal, numa rodinha de colega que brincava quando alguém se descuidava eu ganhei quero levar e de repente eu gritava por mamãe vem cá mainha eu quero brinca.

Vídeo incorreto?