Chegou que nem temporal no sertão
Que nem explosão de vulcão
Que nem boa nova que teima em tardar
Ninguém de bem veio me avisar
Se eu nunca fui de adivinhar
Como é que eu podia saber logo eu
Que você viria sorrateira
Assim, d'eu nem me aperceber
E quando eu fui ver foi você
Que a sorte devia e a vida me deu
Que tu já nasceste em verso e prosa
Da rosa que ninguém viu
São teus lábios, tua cor, és meu amor
Um sentimento muito mais servil, és rio
Enquanto eu folha seca deslizar por ti
Pra onde quer que tu me leves
Minha alma há de partir
Como um cigano à teus pés
Chegou que nem temporal no sertão
Que nem explosão de vulcão
Que nem boa nova que teima em tardar
Ninguém de bem veio me avisar
Se eu nunca fui de adivinhar
Como é que eu podia saber logo eu
Que você viria sorrateira
Assim, d'eu nem me aperceber
E quando eu fui ver foi você
Que a sorte devia e a vida me deu
Que tu já nasceste em verso e prosa
Da rosa que ninguém viu
São teus lábios, tua cor, és meu amor
Um sentimento muito mais servil, és rio
Enquanto eu folha seca deslizar por ti
Pra onde quer que te me leves
Minha alma há de partir
Como um cigano à téus pés

Vídeo incorreto?