Senhor, teu corpo tão machucado,
Moído, desfigurado,
Que dolorosa e triste visão.
Teu sangue, correndo por entre os dedos,
Coagulando em segredo,
Ainda se esvai pelo chão...

Quero Te perfumar, em linho Te ensolar
E Te encerrar na rocha, tosca prisão
E, então poder parar
E, em tudo meditar no meu coração

Senhor que grande amor é o teu,
Na morte que se abateu
Como o pior deste mundo.
Em dores, como o profeta escreveu,
Aflito, gerido de Deus,
Em sofrimento profundo,
Sê propício a mim, eu, pecador ruim
Que nem mereço o teu perdão
Mas tua graça excede
E, amando, me concede a salvação.

Quero Te perfumar...

Vídeo incorreto?