Sou filha do sol, sou da terra
Gerada no meu Sertão
Criada na luta, labuta
Plantando e buscando o pão

Meus olhos são de menina
O corpo já é de mulher
Que não usa creme nas mãos
Mas batalha com garra e fé

Que acorda com o sol nascente
E já prepara o café
Busca lata d'água na cabeça
Andando léguas a pé

Meus olhos são de menina
Mas o corpo já é de mulher
Que não usa salto alto
Mas batalha com garra e fé

Sou Maria, sou filha da noite e do dia
Sou filha do Sertão
Sou Maria, sou mãe, sou mulher
Ainda dou cafuné no meu 'lampião'...

Vídeo incorreto?