Vozes


Acima do clamor de vozes, me livre da dor, livra-me das mentiras!
Liberte-me, para que eu possa ver o caminho adiante.
Sempre infeliz, confusa e enganada, nunca por-se a descansar.

Algum dia você estará no espaço entre, a terra e a eternidade.
Livre da sociedade. Agora a noite é jovem.
Milhares gritam. Olhando para a razão.
Ninguém sem dúvida. Elas reúnem aqui, no espaço entre elas.
Olhando para baixo na terra, recitando os nossos fundamentos.
Acima do clamor de vozes, me livre da dor.
Livre-me das mentiras.

Liberte-me, para que eu possa ver o caminho adiante.
Sempre infeliz. Confusa e enganada.
Nunca por-se a descansar.