Encantado


Obcecado pela razão
Condenado pela traição
Na fé do mal você agora deita
Segurando o gatilho
Eu não sou indulgente
Então dentro do purgatório você queimará

Queime a última chama nos meus olhos

Encante meus versos
Saúde minhas maldições
Você é o protagonista no meu conto
Então não esqueça
Este deve ser nosso último beijo
Então dentro do purgatório você deve queimar.

Com o poder para revelar nossa empatia
Nosso mal está chegando perto e perto
Certo até ele alcançar um ponto que você conhece
Ele tem algo mais para oferecer
Eu vejo você perder a luta contra a estupidez
E você alcança sua mão
Para receber os termos da sua vida
O que está agora não longe para você decidir

Como a possibilidade tribal
Libera através dos meus dedos
Como a areia de uma ampulheta quebrada
O qual sempre circula nossa realidade
Doente e ferido
Através dos portões da eternidade
Apenas para encontrar o único
No final do saguão
Chegando perto está apenas um reflexo
de você mesmo

Nós rasgamos e misturamos nosso presépio pálido
Enchendo com palavras vazias
E como nós estamos fazendo a morte juntos
Vida do veneno pobre

Morto da tortura prevista na terra
Então me diga agora adeus
Suas tempestades de fúria e ventos de silêncio
Eu serei sempre seu.