Ta vendo aquela casinha, lá no pé daquela serra
E aquele pé de mangueira fazendo sombra pra ela
Ta vendo aquele mourão, e aquela porteira velha
Que nos tempos de criança eu brincava muito nela

Ta vendo aquele mangueiro
Lá no fundo do quintal
E aquele cocho velho, ali era o curral

São lembranças e saudades
Que eu trago na memória
Me orgulho em dizer, faz parte da minha historia

Saudade vem como a chuva
Pra molhar os olhos meus
Saudade de um tempo bom
Que em meu peito não morreu ...

Eu fecho os olhos e vejo
O gado lá no curral, e o meu pai tirando leite
E eu brincado no quintal
E minha mãe na cozinha, fazendo um café cheiroso
Pra servir uma mesa farta, com leite e muito biscoito

Parece que ainda ouço, o som do gado berrando
E o galo lá paiol, de manhãzinha cantando
São lembranças e saudades
Que eu guardo na memória
Me orgulho em dizer, faz parte da minha historia

Saudade vem como a chuva
Pra molhar os olhos meus
Saudade de um tempo bom
Que em meu peito não morreu...
Que em meu eito não morreu...

Vídeo incorreto?