- Mayck - Lá no alto da montanha
Numa casa bem estranha
Toda feita de sapé
Parei uma noite o cavalo
Por causa de dois estalos
Que ouvi lá dentro bater
Apei com muito jeito
Ouvi um gemido perfeito
Uma voz cheia de dor:
"Você, Tereza, descansa
jurei de fazer vingança
por causa do meu amor."
Pela fresta da janela
Por uma luizinha amarela
De um lampião quase apagando
Eu vi uma cabocla no chão
E um cabra tinha na mão
Uma arma alumiando
Virei meu cavalo a galope
Risquei de espora e chicote
Sangrei a anca do tal
Desci a montanha abaixo
E galopando aquele macho
O seu doutor fui chamar
Voltemos lá pra montanha
Naquela casinha estranha
Eu e mais seu doutor
Topei um cabra assustado
Que chamando nós prum lado
A sua história contou


- Rodrigo - Há tempo eu fiz um ranchinho
Pra minha cabocla morar
Pois era ali o nosso ninho
Bem longe deste lugar
No alto lá da montanha
Perto da luz do luar
Vivi um ano feliz
Sem nunca isso esperar

E muito tempo passou
Pensando em ser tão feliz
Mas a Tereza, doutor
Felicidade não quis
Pus meu sonho neste olhar
Paguei caro o meu amor
Pro amor de um outro caboclo
Meu rancho ela abandonou

Senti meu sangue ferver
Jurei a Tereza matar
O meu alazão arriei
E ela eu fui procurar
Agora já me vinguei
É esse o fim deste amor
Essa cabocla eu matei
É a minha história, doutor

Vídeo incorreto?