Fundo do poço
Com a corda no pescoço
Devendo a Deus e ao mundo
sem dinheiro pra pagar

Aluguel vencido
Inadimplente, inquilino
E o meu senhorio
Veio aqui me despejar

Eu vou andar sem rumo com as mãos na cabeça
Arrancando os meus cabelos, mas eu vou me controlar
Rezar, contar até vinte, depois no dia seguinte
A esperança novamente vou ressuscitar

TUDO SE RESOLVE
DE QUALQUER MANEIRA
TUDO SE RESOLVE

Fundo do poço
Com a corda no pescoço
Trocando olhares
por drinks gelados lá no bar

E o que me resta
É jantar a luz de velas
Sem luz, sem gás, no chão o meu cão vem me consolar

Eu vou andar sem rumo com as mãos na cabeça
Arrancando os meus cabelos, mas eu vou me controlar
Rezar, contar até vinte, depois no dia seguinte
A esperança novamente vou ressuscitar

TUDO SE RESOLVE
DE QUALQUER MANEIRA
TUDO SE RESOLVE
DE QUALQUER MANEIRA
TUDO SE RESOLVE
DE QUALQUER MANEIRA
TUDO SE RESOLVE...

Vídeo incorreto?