[Um convidado muito especial
Um gaúcho que não é muito exigente
Meu amigo Neto Fagundes
Gruda aí, guri!]

Gosto da simplicidade,
Assim me sinto contente
Mas o povo por maldade
Me chama de exigente
Veja as coisas que eu gosto
Depois, amigo, eu aposto
Que vão pensar diferente
E vão perder a mania
De me chamar de exigente

Meu sonho é ter um dia
Cem léguas de terra boa
Um rancho bem espaçoso
Pra mim e minha patroa
Um perdigueiro ensinado
Amarrado na corrente
Tropas de gado pastando
Bem gordas na minha frente
Uma chinoca bem linda
E bastante inteligente
São os sonhos de um gaúcho
Que não é muito exigente

São os sonhos de um gaúcho
Que não é muito exigente