Quando a minha terra ficou distante lá nas missões
Quando a minha mãe perguntou chorando pra onde vais
Quando um velho triste deixou brotar suas emoções
E pediu ao filho pra não deixar a casa dos pais

Eu saí sorrindo e dexei pra trás família e amigos
Na minha querência,querida cidade de horizontina
O mundo é grande e apesar dos seus perigos
Não mete medo em quem enfrentaa própria sina

E agora longe de tudo
Ás vezes penso em voltar
Enquanto a estrada me diz
Que ainda tenho de andar
Amo o que a vida me deu
Este meu dom de cantar
E com a graça de deus
Vou continuar

Quantas madrugadas pelas estradas do meu país
Quanta serenata de abrir janelas e corações
Amansei tristezas,curei saudades e cicatrizes
Descobri que o mundo está dividido em contradições

O tempo é um sábio que nos ensina e também nos cobra
E o que aprendemos devemos passar a outras gerações
Algumas coisas a vida me deu de sobra
Por isso hoje sou rico em recordações

Vídeo incorreto?