[Intro (Sam The Kid como outra pessoa)]
Oh Samuel,
orienta lá uns beats, meu
tenho aí umas letras bacanas, ando aí a rimar na rua.
Só arranjas aos gajos lá de fora, isso não pode ser,
tens é que calçar os gajos de Chelas pa representares
a tua zona.

[Verso 1]
Este é o primeiro dia do resto da minha vida, a ver
cash,
numa fatia, de empréstimo, que só devia ser/
do honesto e modesto e essa é garantia,
pa quem investe no sequestro da minha quantia/
Okay, protesto essa via, mexe-te alma fria,
sente, nunca se confia, em ninguém em demasia/
-mente, detesto quem agencia, por isso eu não tenho
a gente,
testam a minha inteligência e eu já não sou lento/
Mais, editoras e jornais, e esses tais intelectuais,
não percebem rimas, só instrumentais/
Eles pisam no rap d'ouvidos tapados,
mas eu volto com mais força tipo pelos rapados/
Eu sinto angústia na indústria porque pa ter sucesso,
não o que se faz ou o que se sabe, é quem se conhece/
Por isso eu peço às editoras, apontem o que eu disse,
não se esqueçam que eu sou real no meu press release/
Porque hoje em dia é minoria, alguém ser puro num
sorriso,
e não me escondam nada, façam já strip tease/
e eu não quero o braw, só quero despir-te o uniforme,
como faz um brainwash quando eu só quero um
brainstorm/
não há limite, rádio é dito, eu sinto fome,
porque esses cantores de merda pra mim são sit com/
e eu exito logo quando decifram o cifrão,
e decido ser decente, assim não, m'assinam, ouviram?/

[Refrão x2]
Eu já não papo grupos - a partir de agora!
já não me preocupo - a partir de agora!
Estranhos preparam banhos pa pintar o meu bolo,
mas o meu controlo, vou pô-lo, no meu people/

[Verse 2]
São, pa fazer à pressão, ou não consignação,
Hip Hop sem consignação/
Sem consideração, topa a situação,
roubam quem recita, são a prova de exitação/
na roda da exploração, nova escravatura ou cor,
feito com coração sem amor dura-douro/
Vocês não representam, são representação,
eu quero um penso ou deslocação e alimentação/
Façam apresentação, de valores secretos, completos,
de tentação, que não pedes, não podes, não deves/
E se queres fazer algo construtivo,
paga que eu demonstro ao vivo/
Não inventes grandes eventos sem grandes e bons
investimentos,
não sou carocho, não quero orse nos meus orçamentos/
Só apostam na moda, cambada de oportunos,
eles não amam Hip Hop, ouvem Hip Hop por turnos/
E eu não pulo pa ter vários convites de quem
trabalha,
pa ter fire demites, boy é melhor que me evites/
Como putos que pedem beats, eu nem sequer os conheço,
por isso não me peças nada, boy pergunta-me o preço/
E eu não quero ouvir birrinhas tipo: "Quem é esse?",
"Quem é esse armado em teso?" ou tipo qu'eu não
mereço/
Já vi que a gentileza é fraqueza e eu já não sou
fraco,
a mim já não me comem porque eu fico o homem do
fraque/
E eu suspeito dum sujeito que não respeita o meu
sustento,
a partir de agora sou pimba, só pré-pagamento/
Brincamos o movimentos, o que é que têm também?
mas só confio na minha mãe, e ("mais ninguém!")/

[Refrão x2]

[Interlúdio]
Yeah, vocês obrigaram-me a ficar assim, man
No outro album ainda tava humilde,
agora por causa duns, outro vão levar tabela
é memo assim man, tipo piscina dos Olivais...
A piscina dos Olivais também tava tranquila,
o pessoal entrava normal,
andaram lá bacanos com piolhos, apegaram toda a gente
e agora é assim boy, se não vieres com ??? pra pé de
mim,
não vale a pena man, nem vale a pena.
Pergunta a ti próprio man, quem precisa mais de quem?
Quem precisa mais de quem boy? é essa a pergunta
E agora podia tar aqui a queimar vocês todos boy
mas não, eu vim dar props a quem me põe a viver.

[Bridge]
Keidje Lima, boy, põe-me a viver,
???????, boy, põe-me a viver,
Lilttle John, boy, põe-me a viver,
Nuno Tempero, põe-me a viver,
enquanto o resto eu só oiço é dizer:
vem, vem!

[Outro (Sample)]
Vem por aqui!
Vem por aqui!!
Não, não vou por aí.
Só vou por onde me levam meus próprios passos
e nunca vou por aí.
A minha glória é essa, criar,
eu tenho a minha loucura...
Não sei por onde vou,
Não sei pra onde vou,
Sei... que não vou por aí!
(**aplausos**).

Vídeo incorreto?