Quem me vê sorrindo
Cantando o meu baião
Não sabe a dor que eu trago
Bem marcada machucando o meu coração
Foi uma menina que me fez um grande estrago
E hoje eu trago a dor da solidão

Ela pisou na fulô
Que perfumava minha vida inteira
Era a fulô do amor
Que me levava de qualquer maneira
Ela não deixou raiz
Para que eu não tivesse esperanças
Só deixou o jarro
Onde eu cultivo todas as lembranças
Lembranças do colo
Lembranças do solo onde a gente rolava
Lembranças da rede
Onde se eu mando a gente balançava

Vídeo incorreto?