"Tenho saudade do pé de aveloz
Até da mesa que deu o cupim
Minha saudade tem tanta saudade
Que tô sentindo saudade de mim."

Saudade que eu tenho de mim
Eu levantava com o sol
A baladeira no pescoço
Bolacha e água no bornal
Saía pelo mundo afora
Sorrindo, livre a campear
Cantarolando sem ter hora
Sem pressa e sem querer voltar.

Garoto livre, menino de fato
Moleque de mato, travesso e feliz
Respirei sonho, vivi poesia
Desenhei meu mundo do jeito que eu quis.

Falava com as laranjeiras
Ouvia a voz dos animais
Abria e fechava porteira
Sem pressa e sem olhar pra trás
Banho de rio, cachoeira
No engenho puxando alfinim
Correndo pela bagaceira
Que saudade que eu tenho de mim.

Vídeo incorreto?