Oh Pai, eu queria tanto ver
O meu Senhor descer
Vindo me encontrar.
Eu posso até imaginar
A refulgente glória do Senhor Jesus;
Trasmpondo as brancas nuvens
No mais puro azul.
Onde nem sul e nem norte existirá.
E em meio a lágrimas,
Sorrisos de alegria e de prazer.
Eu que era cego agora posso ver.
Contemplar... contemplar, enfim.
Por isso eu canto glória.

Glória! Glória!
Ao autor da minha fé.
Glória! Glória!
Ao autor da minha fé.

Oh Pai, eu queria tanto ouvir
O som que vai abrir
O encontro triunfal.
Rever amigos que
Um dia em Cristo foram
Feitos meus irmãos.
E agora, sim, podemos
dar as mãos, pois temos todos um,
Somente um, um só Senhor.

Eis o consolo que envolve a minha vida,
O meu senhor Jesus
Que foi morto, sim, naquela cruz.
Voltará, voltará enfim...
Por isso eu canto glória.

Glória! Glória!
Ao autor da minha fé.
Glória! Glória!
Ao autor da minha fé.

Glória ao Senhor.
Glória ao Senhor.
Glória ao Senhor,
O Autor da minha fé.
Glória ao Senhor.
Glória ao Senhor,
O Autor da minha fé.

Vídeo incorreto?