Um tanto inseguro, aturo os dias que passa
Chuva que cai lá fora torna meu dia sem graça
A depressão me laça, me prendo ao apartamento vazio
Que dividiu os meus sentimento em caixas
E preparo pra mudança, desço escada abaixo
Meus dias de alegria hoje em dia já não acho
Um tanto perdido do impasse, amaço outro maço
De pregos pro meu caixão que viram cinzas neste quarto
E parto, sem protetor ou amenizador
Eu tenho tudo que posso comprar mas não tenho amor
E pelo amor a consciência pesou,
Uma tonelada de culpa me julga por nao ter sido que minha mãe sonhou
E assim vou, querendo fazer, tentando fazer, tentando entender
O que se passa, a fama lhe dá de graça
E vejo que quem tem tudo ao mesmo tempo não tem nada
Nada pra não se afogar, impressiona Deus dá asas a quem não sabe voar
Avuar, voile, quer rezar pra pedir, pra crescer, pra conseguir ter
Mas não reza pra agradecer..? Mas porque? mas porque? mas porque?

Se a vida dá, a vida tira,
Atira, a resposta dos porquês
Faço entender, só depende de você!

A cidade monitora passos a fim de conter o rastro
De quem não mede os atos e torna escravo de um contrato
Estereótipo da vitrine, photoshop da magazine
Armadilha que atrai os mano pra vida do crime
Não tem como se esconder, achando que ninguém vê
O sistema te rastreia sem você mesmo perceber
É tudo gravado, anotado, selado, recado, fechado e um trato
Entretenimento distrai sem ninguém perceber os fatos
É claro, cuidado com aquilo que semeia
Muito maluco sente prazer em espiar a vida alheia
Nesse jogo de quem ama grana e odeia o emprego
Quer conforto fica louco e acaba com o sossego
As cegas, não nega, a depressão se entrega
Tudo resume a frustração do fardo pesado que carrega
De um sistema que alimenta essa bomba relógio
Que cultiva um equilíbrio entre o amor e o ódio.

Se a vida dá, a vida tira
Atira, a resposta dos porquês
Faço entender, só depende de você!

Vídeo incorreto?