Miséria carnal


Cada dia um dia de luto
Atrás destas paredes de mentiras
Suicídio - eu ainda a amo

Tudo se resume na chuva vermelho
A dor está crescendo dentro
Eu sei que eu ainda sinto por ela

Ávidos por cenas perdidas e tranquila
Ansiando por sua luz neste tempo
Em tempo de tristeza

Do berço ao túmulo Eu estou contando os dias
Vou chegar à mão da esperança
Cada vez me sinto oco

Com mim mesmo que chafurdar na dor
Finalmente selar as cicatrizes no meu rosto
Tudo para sempre manchado pela escuridão glorioso