Sol nasceu
Ninguém que eu saiba morreu
Ninguém me viu lá embaixo
Só no riacho

Sul da América
Um ponto luminoso
Entre milhões um ponto lá
Chamado amor

Aurora joga o anzol sobre nós
vamos cantar o amor do sol
O sol que volta no varal
Do horizonte extenso, nacional

Pedimos o fim da guerra civil
Pedimos e podemos isso
Pedimos um café pra tocar
Pedimos fé no Brasil

É tanta cidade que eu já passei
É tanto nome que não lembrei
É mágoa antiga que eu não rezei
Pra não voltar nessa hora boreal

Há muito tempo que eu tô na estrada
Já vi planícies ensolaradas
Já vi baias, rios, planaltos
E todo amor é salto vertical

Um dia isso vai ter que passar
Um dia eu volto pro meu lugar
Há sempre alguém a nos esperar
Um dia eu volto pra lá

Dormindo no chão do aeroporto
Como se eu fora um poeta morto
Aero acesa a minha esperança
Que hoje me alcança, diagonal

Vídeo incorreto?