Rua sombria


Enquanto o dia chega pelo corredor
E eu continuo acorrentado a essa casa
Mas você me chama e eu sigo
E ajo como eu estivesse tão orgulhoso
Ainda lendo a calçada
E isso cheira como noticias matinais
E eu não sei porque eu continuo não pareço
Me arrastar pra longe de você

Olho a janela,tempo não significa nada
Olho a janela, até eu te ver vindo
Nascido um vagabundo
Você vai sempre
Me ver mais que um cão faminto de Pavlov?
Não ve cores
Viva outro
Dia pra alimentar tudo que você é e você é

Quando o dia dorme e o brilho do sol
não queima mais meus olhos
e o som de seus passos
é a unica coisa que permanece
entre eu e o sentimento
Daquela vida que preenche aquelas quatro paredes
Que me prende completamente
apenas esperando seu chamado

Olho a janela,tempo não significa nada
Olho a janela, até eu te ver vindo
Nascido um vagabundo
Você vai sempre
Me ver mais que um cão faminto de Pavlov?
Não ve cores
Viva outro
Dia pra alimentar em tudo que você é...
em tudo que você é

Eu corro por você e uma queda tão dura
meus segredos estão enterrados no jardim

Nascido um vagabundo
Você vai sempre
Me ver mais que um cão faminto de Pavlov?
Não ve cores
Viva outro
Dia pra alimentar tudo que você é

em tudo que você é