Sombras descem


Eu vejo círculos de ouro apesar de meus olhos
Quando a escuridão desce de cima
Depositando-se sob eu e meu amor
Eu vejo círculos de ouro desbotando-se em negro
Até que os céus tenham morrido
Você vai ser a pedra em meu caminho

Venha tão friamente acordado
Onde a luz não iria
Venha apenas à deriva nesta descendente lenta

Na luz morrendo há um sonho além do tempo
Um é impossível
Como isso é belo
Agora o fantasma no espelho revira-se desta maneira e
Define a linha para a briga
Em tal caminho solitário
E o arcanjo suspira, alimentando essa tristeza
Ainda tenho nojo de recolher
Todos estes ossos juntos

Venha tão friamente acordado
Onde a luz não iria
Venha apenas à deriva nesta descendente lenta
No caminho para o portão
Ande um pouco misericordioso
Enquanto estava deitado há esperar uma serpente enrolada

Aqui é onde nasceram o curvado e o miserável
Aqui é onde o caminho foi apagado na tempestade

Eu vejo círculos de ouro queimados fora do sol
Quando sombras descem do alto
Depositando-se e fechando eu e meu amor