Assassinado pelo orgulho


Sabado a noite é uma mentira, vou seguindo cada palpite
Domingo é santificado, sorrio e sento no banco da igreja
Segunda eu volto para escola, vou aprendendo mais nem tudo
Terça, quarta, quinta e sexta já estou rastejando

Temos que lutar, temos que parar de viver uma mentira
Tenho que cair, tenho que deitar e morrer
Tenho que ficar, e correr para o outro lado
Tenho que viver, ou ser assassinado pelo orgulho

Sementes que foram crescendo, secando minha carne
Eu vou andando e falando, mais onde está o resto?
Eu podia ter tudo, mesmo aquilo que está além das estrelas
Mas eu construí minha prisão sem janelas e sem barras

Temos que lutar, temos que parar de viver uma mentira
Tenho que cair, tenho que deitar e morrer
Tenho que ficar, e correr para o outro lado
Tenho que viver, ou ser assassinado pelo orgulho