Ô muerada vem ne mim que eu to sortero, vem ne mim que eu to sortero.
Ô muerada vem ne mim que eu to sortero, vem ne mim que eu to sortero.

Vamos pra fará com Tanatã e Luan cambada!
AÔ dilicia!

Ô muerada vem ne mim que eu to sortero, vem ne mim que eu to sortero.
Ô muerada vem ne mim que eu to sortero, vem ne mim que eu to sortero.

Morava no sitio, vivia no bem bão, comia galinha com arroz e feijão.
Comia as cabrita, das leitoas até o pé, lá nois tinha de tudo, só fartava muie.
Mudei pra cidade, encontrei um amor, dei tudo pra ela,
E ela não deu valor!
E o que ela queria, era só meu dinheiro!
Eu meti o pé nela, com a mala na costa, passei por putero!

Ô muerada vem ne mim que eu to sortero, vem ne mim que eu to sortero.
Ô muerada vem ne mim que eu to sortero, vem ne mim que eu to sortero.

Todo dia era festa com muita animação
Forrozinho e sanfona nas noites de são João.
Tava tudo do jeito, do jeito que nois quê.
Tinha muita fartura só não tinha miué.

Mudei pra cidade, encontrei um amor, dei tudo pra ela,
E ela não deu valor!
E o que ela queria, era só meu dinheiro!
Eu meti o pé nela, com a mala na costa, passei por putero!

Ô muerada vem ne mim que eu to sortero, vem ne mim que eu to sortero.
Ô muerada vem ne mim que eu to sortero, vem ne mim que eu to sortero.

Vídeo incorreto?