O corpo dele não tem alma
Não tem saída, não tem entrada
Todo movimento foi pra fora,
Não sobrou nada
E o corpo dela também não tinha alma
E o corpo dele era o teu corpo
E o ciúme, não muda nada

Tua boca em outra boca
A língua em minha boca
Todas as bocas cansadas
Todas as cartas rasgadas
Vaidade e vingança
Carência descontrolada
E o corpo deles era um rio de água parada

Sexo e raiva
Angústia disfarçada
Foi diversão, foi acidente
Foi quase nada

Nenhum futuro nos espera
Nos não precisamos mais fugir
Corpo e alma lavados puderam prosseguir
E todos os amantes
Voltaram a se tocar
Há portas que se abrem sem ninguém chamar

Sexo e raiva
Angústia disfarçada
Foi diversão, foi acidente
Foi quase nada