Carolina drama


Eu não tenho certeza se há um sentido pra essa estória
Mas vou contá-la novamente
Tantas outras pessoas tentam contá-la
Nenhuma delas sabe o final

Era um muquifo na Carolina do Sul
Onde morava um garoto de dez anos
Junto com seu irmão mais velho Billy
E sua mãe e o namorado dela
Que era um grande perdedor com algumas tatuagens azuis
Que foram dadas a ele quando mais novo
E um temperamento de bêbado fácil de se perder
E graças a Deus ele não tinha uma arma

Bem, Billy acordou na caçamba do seu caminhão
Levou um minuto pra abrir os olhos
Deu uma espiada na parte detrás da casa
E teve uma grande surpresa
Ele não via seu irmão, mas lá estava sua mãe
Com a cabeça ruiva entre as mãos
Enquanto o namorado enrolava suas luvas ao redor de um velho padre
Tentando esganar o homem

Ah Ah Ahhh...

Billy olhou pela janela do caminhão
Levantou-se e teve que lutar pra ficar de pé
Ele viu aquele provinciano bastardo com um martelo
Fazer o padre tremer nas bases
O padre estava lutando pra valer por sua vida
Mas era velho e estava prestes a perder
O namorado acertou com toda a força que podia
E derrubou o padre aos seus pés

Bem, agora Billy sabia, mas nunca realmente tinha conhecido
O pregador estirado lá na sala
E ouviu a si mesmo dizer, "Esse deve ser meu pai"
Então ele sabia o que ia fazer
Billy tomou coragem o bastante, saiu de lá
E pegou a primeira coisa sem ponta que encontrou
Era uma fria garrafa de leite feita de vidro
Que era entregue todas as manhãs às nove

Ah Ah Ahhh...

Billy entrou lá dentro e viu o sangue no chão,
Deu uma volta e trancou a porta
Olhou bem para os olhos do namorado
Sua mãe era um fantasma, muito aborrecida pra poder chorar, então
Ele deu um passo em direção ao homem no chão
De sua boca saiu um sonzinho audível
Ele ouviu o namorado gritar, "Cai fora!"
E Billy disse, "Não até eu saber o que está acontecendo aqui"
"Bem, esse pregador aqui estava atacando sua mãe"
Mas Billy sabia quem é que tinha começado o drama
Então Billy mirou bem no rosto dele
E quebrou a garrafa no homem que desgraçou seu pai, e
O leite branco escorreu com o sangue, e então
O namorado desabou bem morto
Próximo ao pregador que estava ofegando em busca de ar
E Billy gritou, "Pai, por que você tinha que voltar aqui?"
Sua mãe enfiou a mão atrás dos potes de açúcar e mel, e
Tirou de lá um envelope cheio de dinheiro
"Seu pai nos deu isso," e caiu em pranto
"Ele tem pago nossas contas por anos"
"Mãe, vamos colocar esse corpo lá embaixo das árvores
E colocar o papai no caminhão e partir para o Tenessee"
Nesse exato momento, seu irmão mais novo apareceu
Com o chapéu do leiteiro e uma garrafa de gin, cantando,

La la la la, la la la la, yeah
La la la la, la la la la, yeah
La la la la, la la la la, yeah
La la la, la la la...
La la la la, la la la la, yeah
La la la la, la la la la, yeah
La la la la, la la la la, yeah
La la la, la la la...
La la la la, la la la la, yeah
La la la la, la la la la, yeah
La la la la, la la la la, yeah
La la la la, la la la la, yeah

Bem, agora você ouviu outro lado da estória
Mas você quer saber como termina?
Se você quer saber a verdade sobre a estória
Vá e pergunte ao leiteiro