Do norte eu sai com quinze anos de idade
Fui para uma cidade a paulista capital
Quis ser um policial era o meu sonho adorado
Quando me vi fardado senti me muito feliz
Pra defender meu país o dever de um brasileiro
E assim ganhei dinheiro fui feliz e tive sorte
Pra mandar para o norte pra buscar minha mãezinha
Que a tempo eu deixei um dia que pra lá ficou sozinha
E há muitos anos nós não se via.

Um amigo avisou-me que fosse ao cemitério
Que lá no necrotério se achava uma velhinha
E documento não tinha apenas um retrato
Com o meu nome exato para lá segui
Quando eu a vi era a minha mãe querida
Que arriscando a vida saiu a minha procura
Passou pobre amargura dormindo pelas calçadas
Sem dinheiro, quase nua numa fria madrugada
Encontraram morta num beco de rua.

"A cena mais triste que enfrentei na minha vida
Ver minha mãe querida inerte num caixão
O meu pobre coração quis salta fora do peito
Meu sonhos foram desfeitos e tão feliz podia ser
Assim mesmo eu vi dizer uma pessoa qualquer
No coração de mulher diz que não existe amor
Minha mãe sofreu horror deu a vida a meu respeito
Fico triste pelas ruas tirei o luto do peito
Mas no coração continua.

Vídeo incorreto?