No dia que me casei alegri foi demais
Soltei a mulher na frente a filharada foi atras
Sou casado a vinte anos nunca briguei com a Maria
Casei e vim pra São Paulo, deixei ela na Bahia


A fome bate na porta o amor pula a janela
A mulher que passa fome o marido fica sem ela
A mulher de vagabundo tem poucos dias de vida
Vagabundo dá carinho esquece de dar comida


O Patrão era martelo no prego ele batia
O Empregado era o prego coitado como sofria
O Patrão já virou prego agora que eu quero ver
O Empregado é o martelo que no prego vai bater


N´s aqui estamos deitando no Japão vai levantar
No Japão estão levantando nós aqui vamos deitar
Com japonesa eu não caso porque vi que não adianta
Quando eu levanto ela deita quando eu deito ela levanta


Minha vida é muito boa eu não posso reclamar
Como um pato no almoço como um pato no jantar
Eu matei um pato gordo convidei o meu vizinho
Fechei as portas e janela comi o pato sozinho

Vídeo incorreto?