Eu tenho em meu escritório
Em cima da minha mesa
A miniatura de um carro
Que a todos causam surpresa

Muitos já me perguntaram
O motivo por que foi
Eu sendo um doutor formado
Gosto de um carro de boi

Respondi foi com o carro
Nas estradas a rodar
Que meu pai ganhou dinheiro
Pra me poder estudar

Enquanto ele carriava
Passando dificuldade
As lições eu decorava
Lá nos bancos da faculdade

Entre nossas duas vidas
Existe comparação
Hoje eu seguro a caneta
Como se fosse o ferrão

Os riscos de minha escrita
São pras folhas rabiscadas
Eu deixo os rastros que os bois
Deixavam pelas estradas

Fechando os olhos parece
Que vejo estrada sem fim
E um velho carro de boi
Cantando dentro de mim

Em meus ouvidos ficaram
O gemido de um cocão
E um grito de um carreiro
Ecoando no portão

Se tenho as mãos macias
Eu devo tudo ao meu pai
Que teve as mãos calejadas
No tempo que hoje vai

Cada viajem que fazia
Naquelas manhãs de inverno
Eram o pingo do meu pranto
Nas folhas do meu caderno

Meu pai deixou esta terra
Mas cumpriu sua missão
Carriando ele colocou
Um diploma em minhas mãos

Por isso guardo esse carro
Com carinho e muito amor
É lembrança do carreiro
que de mim fez um doutor.

Vídeo incorreto?