Quando eu era boiadeiro tinha uma vida brilhante
Gostava de trabalhar só em negócios volantes
Comprava gado e vendia em quantidade bastante
Sacava o cobre no banco não precisava endossante
Me lembro de uma passagem que achei muito interessante
Fui buscar uma boiada lá nos campos de xavantes
Levava muitos milhões pra despesas dos marchantes oi lari lari lara

Dia da minha partida eu tive um atenuante
De marchar com a comitiva e a minha peonada adiante
Era subida e decida só campinas verdejantes
Logo eu vi um automóvel que vinha vindo distante
Entre a poeira vermelhada vi que o carro era importante
Gritei pra minha peonada não quero que o gado espante
Encoste o gado depressa e repicasse o berrante oi lari lari lara

Era uma garota linda vinha vindo no volante
Disse que chamava sabrina me respondeu num instante
Vi que era capitalista sua fortuna é bastante
Calcule mais de mil contos só em pedras de brilhante
Perguntou da onde eu era sou da firma bandeirante
Todos os negócios que eu faço minha firma e quem garante
Eu sou o dono da firma não tenho representante oi lari lari lara

Pensando bem o destino veja como é interessante
Fiquemos ali se gostando não se esquecemo um instante
Nunca mais vi essa moça mais a saudade é bastante
Daquele rosto moreno daquele corpo elegante

Um sorriso encantador não esqueço teu semblante
O causo é que sou casado levo uma vida importante
Mais lembro dessa passagem quando arrepica um berrante oi lari lari lara

Vídeo incorreto?