Ainda que a fraqueza sobrevenha
E o meu corpo já cansado desfaleça
Jamais irei desanimar
Nem desistir de continuar
Pois o Espírito de Deus, se renova em mim
E a cada dia eu me fortaleço mais assim

Eu não olho para as coisas que hoje posso ver
Que não duram muito tempo e logo vão passar
Mas eu olho para as coisas invisíveis
Pois jamais acabarão
São sublimes, eternais

Meu sofrimento aqui é tão pequeno
Minha aflição tão curta e passageira
Se eu pudesse comparar com a glória eterna que virá
Pois as bênçãos lá do céu
Que meu Deus preparou
São bem mais, são muito mais do que eu posso imaginar

Eu não olho para as coisas que hoje posso ver
Que não duram muito tempo e logo vão passar
Mas eu olho para as coisas invisíveis
Pois jamais acabarão
São sublimes, eternais

Eu não olho para as coisas que hoje posso ver
Eu não olho para as coisas que hoje posso ver
Que não duram muito tempo e logo vão passar
Mas eu olho para as coisas invisíveis
Pois jamais acabarão
São sublimes, eternais
Eternais

Vídeo incorreto?