Um Virgulino tão temido e tão valente
Matando gente foi herói e foi vilão
Um futurista de um passado tão presente
Plantou semente do cangaço pelo chão
Nasceram frutos dessa pátria cangaceira
E a nossa casa transformou-se em cativeiro
Aeronave viajando sem piloto
Feito rato de esgoto vive o povo brasileiro
Escravisado sem direito sem razão
Esperando abolição num país de cangaceiro
E a cada instante tem um lampião agindo
Ou coagindo na disputa do poder
No gabinete, na favela, em nossa rua
O cangaço continua só a gente que não quer ver
Tem lampião demais nessa cidade
Tem lampião demais nesse país
Meu Deus com tanta violência
Como é que a gente pode ser feliz
Um assalto em cada esquina
Um seqüestro a cada dia
Bombardeio de fuzil
Transformado em imposto e carestia
Carnaval e futebol
É peneira pro sol da hipocrisia

Vídeo incorreto?