Ainda acho que forró de cabra macho
Tem que ter um oito baixo
Um cavaquinho e um violão
Na marcação trianglista e zabumbeiro
E um cabra bom de pandeiro pra fazer a divisão
Um sanfoneiro que seja bom de gogó
Cantando côco, forró, xote, xaxado e baião
E a meninada que se amarra na guitarra
Paga a cota e cai na farra sem fazer reclamação
Assim é o forró do meu sertão
Assim é o forró lá do meu Bodocongó
O nêgo gruda no cangote da menina
Parecendo até resina no tronco do jatobá
Bucho com bucho, orelhinha com orelha
Como se fosse uma abelha na flor do maracujá

Vídeo incorreto?