Os paranaense chóra
Vendo a mata destruída
Não tem flôres nem perfume
O sertão ficou sem vida
Os lamentos dos roceiros
Vendo a lavoura perdida
Mandai chuva aqui na terra
Ó Senhora Aparecida.

Abalou de Sul a Norte
A nossa vida cansada
Chora triste o fazendeiro
Vendo morrer a boiada
Reclama o pobre roceiro
Ficou sem casa sem nada
Morrendo sua esperança.
Na cinza triste, queimada.


O fogo queimou meu rancho
Minhas pranta e criação
E morrendo meu fiinho
E queimou meu coração
Ó meu Deus quanta desgraça
A queima do meu sertão
Do meu verde Paraná
O sorriso da Nação.


Senhor meu Jesus Cristo,
Mandai vossos mensageiros
P'ra salvar os inocentes
E a vida dos roceiros
Manda chuva lá do céu
Pro nosso Brasil inteiro
Vem cobrir com o seu manto
Todo aqueles que morrero.

Vídeo incorreto?