No tempo do cativeiro
Quando senhor me batia
Gritava por nossa senhora
Meu Deus, como as pancadas doía

Ê auê! E, êa
Qual é a mae que não chora
Vendo seu filho apanhar

Preto velho na senzala
Não tinha quem recorrer
Trabalhava e apanhava
Sem ao menos merecer

Ê auê! Ê, êa
Qual é a mãe que não chora
Vendo seu filho apanhar

Treze de maio chegou
Preto velho até chorou
Só ficaram cicatrizes
Das chicotadas que levou

Ê auê! Ê, êa
Qual é a mãe que não chora
Vendo seu filho apanhar

Vídeo incorreto?