Seu sanfoneiro puxe o fole direitinho
Sua sanfona via gemer e se esfolar
Usando os dedos no teclado com carinho
Vai gemendo bonitinho
Faz o dançador voar
Enquanto o cabra ta agarrado na cintura da morena
Ta suando mais não quer desagarrar
Mais se a morena acha o sujeito mole
Da um jeito e se escapole deixa ele falando só
E o sanfoneiro tudo aquilo observando
Vai com os dedos cutucando
Toca em riba outro forró

Se é meia noite, arma-se uma confusão
Enquanto o sanfoneiro toca um baião
Ele já entra num forró bem arrochado
Pra deixar desanimado o sujeito valentão
Pro sanfoneiro não querer se dar ao luxo
E acabar com o relabucho que é o seu ganha pão
Mas se acaso ficar tudo no escuro
Sanfoneiro ta seguro, sabe que não fica só
Quando amanhece, e o sol vai tomando vida
Pra festança despedida ele arrocha outro forró

Vídeo incorreto?