Mas que cacete é balancete público nacional
Do estado de direito da vara de porrete do policial
Discurso de efeito, sem nome, sem nome de palavrão
Bomba de efeito moral não desmembra homem,nem faz carnaval
É jogo de raposa velha a caquética pose que um jacu vendeu
Então cê doa os órgãos que a cabeça apodreceu
É vela de sete dias, é ave Maria, é terço na mão
A turma dos prós e dos contras está reunida pra ver quem é que tá com a razão
E eu não entendi nada quando um pangaré influente da filha do rei
Entrou numa parada errada, roubou milhão, disseram que iam prender
Ficou algum tempo parado pra ver o que ia acontecer
E não acontecendo nada, voltou pra casa, já tá na TV
Era corruptela de meio palmo um espaço invadido da mão do patrão
Era só um pedaço de estrada, cagado de gado no meio de um grotão
A policia jogou granada, voava enxada e barraco
Coitado do pobre, quando carrega a farinha o diabo vem
e fura o saco
E me pergunto por que tanto milionário quer ser eleito
Talvez seja a forma mais fácil de aparecer sem ter talento
Fingindo que tá chorando, fingindo que tá emocionado
Fazendo discurso parecendo ator de filme dublado
É Zé Fulano Filho, é João Sei-lá-das-quantas Neto
Parece capitania hereditária o gabinete do congresso
A mãe Joana tá parindo deputado com diploma de eleito
Numa barrigada nasce vereador e prefeito
O filme pornô:Governo Neurótico, Oposição Nervosa
De quatro em quatro anos ganha uma versão mais melosa
Vou viver a vida sem saber o que é um ladrão
Mas sei que a maioria tem cadeira cativa na televisão

Vídeo incorreto?