Um dia desses
Ponho uma tranca no meu peito
Encarcero a emoção
Faço o coração refém
Boto chave e cadeado,
Não deixo sair o coitado
Mas ninguém entra também
Quem sabe assim
Enclausurando o sentimento
Meu coração deixa de sofrer
E eu de morrer de tanto querer
Mas não há jeito
de trancar o cofre do peito
O amor feito um ladrão
Arromba com pé de cabra
Sabe a combinação
Mago diz abracadabra
Gatuno vem do alçapão
O amor não se anuncia
Vem assim de sopetão
Nasce como o sol
Num belo dia
Mas não finda
como a chuva de verão
Eu descobri
que o meu coração é descoberto
Chove paixão
e ele fica então repleto
Transborda sempre,
dá enchente, inundação
Tá precisando
de um telhado de razão
Uma palhoça que lhe cubra,
Um cobertor pra não morrer,
Não se afogar de amor!


OBS.: Integra o CD Vanusa
Hino ao Amor - 1994.

Vídeo incorreto?