Amo esse homem
Seus lábios, seus traços
Seu colo, seus braços
Seus olhos, seu fogo
Amo esse homem
Que é força selvagem
Que é noite, que é noite,
que é noite
Amo esse homem
Seu grito, sua garra
Seu jeito, sua festa
Sua devoção
Amo esse homem
Sua voz, seu lamento
Que é noite, que é noite,
que é noite
Ah! Esse homem
cruzou meu caminho
Meu corpo dourado
Meus vales vazios
E ele fez levantar a poeira
de minhas heranças
Dos meus sentimentos
E ele trouxe consigo
Toda sua estória
Suas glórias e seus ais.
Ah! Esse homem amigo
Meu mais forte abrigo
Meu mundo e meu cais.
Amo esse homem
De pelo bronzeada
Ferido na estória
Bloqueado na estrada
E ele por ter
teus desejos contidos
Me sabe e comunga comigo.
Temos na alma
as mesmas cicatrizes
E diante dos olhos
Os mesmos perigos
E no coração a esperança
No peito a aliança
E no abraço o abrigo
Somos um par de asas lindas
Abertas ainda
num vôo de heróis
Somos um brilho profundo
Que emerge do fundo
P´ra desatar os nós.

LP "Eu Sobrevivo" - 1981.

Vídeo incorreto?