Sozinho na noite
Um barco ruma para onde vai.
Uma luz no escuro brilha direto
Ofusca as demais.

E mais que uma onda, mais que uma maré...
Tentaram prendê-lo impor-lhe uma fé...
Mas, vogando à vontade, rompendo a saudade,
Vai quem já nada teme, vai o homem do leme...

E uma vontade de rir nasce do fundo do ser.
E uma vontade de ir, correr o mundo e partir,
A vida é sempre a perder...

No fundo do mar
Jazem os outros, os que lá ficaram.
Em dias cinzentos
Descanso eterno lá encontraram.

E mais que uma onda, mais que uma maré...
Tentaram prendê-lo, impor-lhe uma fé...
Mas, vogando à vontade, rompendo a saudade,
Vai quem já nada teme, vai o homem do leme...

E uma vontade de rir nasce do fundo do ser.
E uma vontade de ir, correr o mundo e partir,
A vida é sempre a perder...

No fundo horizonte
Sopra o murmúrio para onde vai.
No fundo do tempo
Foge o futuro, é tarde demais...

E uma vontade de rir nasce do fundo do ser.
E uma vontade de ir, correr o mundo e partir,
A vida é sempre a perder...