Minha medea


Dentro das paredes do labirinto
Lá deita-se uma pequena criança que dorme sozinha
E como a luz do dia cai
O vento torna-se tão selvagem através da pedra

Para eu ter feito sua prisão ser
Cada passo dela longe de mim
E essa criança que eu iria destruir
Se você tentou libertá-la

Então venha para mim, meu amor
Eu vou tocar em sua força e drená-lo seco
Pode nunca ter o suficiente
Por você eu queimarei o comprimento e a largura do céu

Pois são meus pensamentos que me ligam aqui
É esse amor que eu mais temo
E essa criança que eu iria destruir
Para eu segurar a sua dor mais querida

Sem refúgio para este coração
Nenhum abrigo para essa criança perdida em labirintos
Céu nos mantém afastados
Uma maldição para cada milha do oceano atravessado

Pois eu devo morrer pelo o que fiz
A revira volta do destino um sol do deserto
Para eu ver o que destrui
Doce reflexo da faca em mim
Para eu ver o que destrui
Eu posso ver o que comecei