Mulher de malandro se pá tem uma sina
Sei lá, virou rotina é foda
Porta de cadeia, humilhação vou dar a volta por cima
Penso sair fora e sumir, não, não é bem assim
Se o cara fez o que fez, foi pelo filho e por mim

É sempre assim, a fome a falta de dinheiro
Miséria que leva um cara entrar em desespero
Ai já era, por ele não há nada a fazer
Já vendi, tudo o que eu tinha de valor pra vender

Por não ter que interferir e querer se aparecer e ser a mina de bandido
Aqui se faz, aqui se paga
Aqui veneno o tempo inteiro, sem pai pro meu pivete
Sem marido, sem dinheiro

Hoje em dia eu queria ser uma mulher independente
Ter meu canto, meu emprego sem ter que contar com família e parente
Depois que a minha mãe se foi o resto ih
Eu nem insisto eu tenho 6 irmãos
Nenhum se pã lembra que eu existo

Se eu não desisto aí, sempre foi assim
Enfim, Deus por todos, todos, todos por um, eu por mim
Mas se eu falhar meu filho ainda é uma criança.
E seu pai foi condenado, ele só tem eu como esperança

A insegurança não, não vai me intimidar eu tenho fé
Um dia você sai desse lugar
Aí cadê? Seus manos a maioria te esqueceu
Só quem ficou foi sua vó, seu filho, sua mãe, e eu

Que te sirva de lição antes era Deus no céu
E seus parceiros nação
Mas na hora do desepero, rebelião eu não vi nenhum
Deles ali do lado de fora do portão

Eu daria tudo pelo pouco que eu tinha com você
Pra não ver meu filho sem pai, sem merecer
Final de mina de ladrão é luto, solidão
Só percebi ao ver seu sangue escorrendo pelo chão

Você sabe, malandro, então raciocina
Uma mina de procede, responsa não se encontra em qualquer esquina
De olho na matina na porta de bar estilo feiticeira querendo te dominar
Na penitenciária eu percebi que tem
Mina de ladrão que não tem procede
Nenhum tipo de consideração, tanto faz

O que ela queria com você, você já não tem mais
Celular, carro do ano, apartamento na praia, condição
Conta bancária, carro e mina pra escolher? Eu não
Onde o diabo dá, tira em questão de segundo
Após a morte eu sei que nada se leva do mundo

Senhor faça do pai dos meus filhos um homem
Senhor, mostre o caminho pois sozinho ele não vai ser ninguém
Senhor, faça ele dá valor e o filho parar pra pensar
Que a vida e a liberdade o dinheiro não pode comprar

Mina de drão meu conhece a sensação
Quando vê o cara sair sem saber se volta ou não
É fatal, final de marginal de qualquer artigo
Tanto faz se ele é periculoso ou só rouba porque está
Fudido, desempregado, injuriado, na pior
Menor de 21 na adolescência é comum
Partir pro crime vira ra-tá-tá-tá ... notícia
Morrer na mão do crime ou na mão da polícia

Eu daria tudo pelo pouco que eu tinha com você
Pra não ver meu filho sem pai, sem merecer
Final de mina de ladrão é luto, solidão
Só percebi ao ver seu sangue escorrendo pelo chão

Eu nunca soube a verdadeira versão
Do dia 2 ou 10 de 92 na casa de detenção
Rebelião que foi além do meu pressentimento
Pra ele o fim, pra mim saudade, ressentimento

Eu era apenas uma no meio de uma multidão
De amigos e parentes do lado de fora do portão
Feito uma louca como eu, uma pá descontrolada
Vendo o marido sendo morto sem poder fazer nada

Agora nada, já fracassei, sei o que fiz, por merecer
Pelo dinheiro, eu nunca quis mudar seu jeito de ser
Se a mina é lok e o cara faz o que quer
E a mulher,pode modificar um homem ou afundar cada vez mais se quiser

Chegou a hora da verdade, não dá mais pra esconder
Meu filho cresce, mais cedo ou mais tarde vai ter que saber
Então que seja por mim, meu filho, seu pai, eu lamento
Morreu com dignidade só não te serve de exemplo

Ele foi um dos mais de cem detentos que há 8 anos atrás
Teve o final violento que eu não me esqueço
Mesmo sem pai, dei condição, não te deixei passar fome
Te dei estudo, educação, pra ser um sujeito homem

Eu não tenho mais nada a perder nesse vida, a não ser você
Eu não posso, nenhuma mãe pode prever o que seu filho vai ser
Um pilantra, estuprador, trabalhador ou ladrão
E acabar como o seu pai executado a sangue frio na prisão

Vídeo incorreto?