Duas e tal da madrugada de uma sexta-feira
Deco de bobeira sentado no escadão
Ali descendo no morro um cara perigoso
Com um dedo nervoso afim de confusão

Deco teve chance de fugir
Deco teve chance de negar
Deco teve chance de mentir
Mas não mentiu

O cara disse para o Deco se meteu comigo
Tá vendo o perigo
Deco disse não
Vi na penúria o desatino ferro engatilhado
Deco baleado
Haja coração

Ele caiu não reagiu a minha lágrima rolou
A ligação de bolação e dor
E mais um teço então se ouviu e a favela se calou
É o quebrador

{RAP}
Não sei por que na esquina do morro o que não falta é notícia
É fácil ver que pra sobreviver tem que ter certa malícia
É isso aí que de fato escoa a diretriz da polícia
Ver o bandido assaltar, ver que ele some de vista
Oh Pátria Amada Idolatrada tá ruim de viver
Mas filho teu não foge a luta nem se desfalecer
Vamos parar com a disparada e parar pra rever o dever

[REFRÃO]
O Sol despertou na calada
Ninguém pra falar, descrever, opinar, por quê?
Se a barra é pra lá de pesada
Ninguém pra falar, descrever, opinar, por quê?

Vídeo incorreto?