Sou nordeste, sou salgueiro "oxente"
"Vixe! Mãinha" tá bom de mais
O meu samba já virou "repente"
Nesse laço de amor e paz

Brilhou a luz da poesia
Iluminando o meu cordel
Fez de mim um trovador
Um poeta sonhador
Nordestino menestrel
A arte.... Pelos mares aqui chegou
E a nobreza se encantou
Com a sua magia
Até do oriente tem "causo" pra contar
Repentista abre o leque
E deixa o coração versar

Toca o fole sanfoneiro
Que hoje tem arrasta pé
Vem chegando "conselheiro"
Couro come no terreiro
Com "jagunço" e "coroné"

Maria bonita o amor de Lampião
Sertanejo tem história pra cantar
Com orgulho na memória vou guardar
Os heróis do meu sertão
Assombração ta querendo me assustar
Não tenho medo "vá de retro" sai pra lá
Meu "padim" é o "pade ciço"
E vai me proteger
Valei-me, ôôôô nossa senhora
Com seu manto abençoando
Minha escola em romaria
Meu canto é branco e encarnado
No carnaval da academia

Vídeo incorreto?