Yo mariana,
Eu ando-te a mancar o panorama
E esses dreads com que andas é gente que não em engana
Tu eras grande dama grande rabo granda mama
Andas com cara de drama
Sinto-te a perder a chama
De dia para dia
De semana para semana
Perdeste quase 10 quilos, tipo vegetariana
Yo dama pára, já toda a gente repara
Que andas com má cara, é olheira que não sara
Eu sei que tu és nova
É o diabo a por-te à prova
A diversão que tá na moda
É alucinação e droga
Sempre foste responsável, educada, amavel
Meiga doce amigável, bonita forte e saudável
Surpreendeste-me com o que parecia impensável
Acabaste com três anos de uma relação estável
O teu damo era sbem, com o emprego que tem
Tinha dado entrada para uma casa e para um carro tambem
Passeava a tua filha, ia às compras com a tua mãe
Respeitava-te e amava-te como ninguém
O fez ou o fará, vai ver como ele está
Devias dar mais atenção, devias falar com o rapaz
Tens a vida pela frente o que vai na tua mente
Foste mãe adolescente, dura e sobrevivente
E agora de repente parece que desististe
Pensa ao menos na tua filha..tou farto disto!
Bazas ela fica só, em casa com a avó
Devias dar mais atenção e fazer-lhe uns totós
Ela andava sempre alegre, a falar alto e aos berros
Hoje o sorriso mais leve, tem de ser puxado a ferros
Porque ela percebe, o mau ambiente
Sete anos de idade, a miuda é inteligente
O teu ex-damo foi para ela um pai de verdade
Acho que este novo agora nem o nome dela sabe
Ele nunca trabalhou, nem se orientou
Cabeça sempre no chão tipo parece um robô
Nunca fez nada pela vida, noite droga batida
Cabeça fodida, não diz duas de seguida
Muita coisa que eu sei, a tua mãe coitadinha
Quando vai à mercearia chora o ombro da minha
Quando a gente se conheceu, eu lembro de tu dizeres
O que ganhares na noite, na noite vais perder
O que é que mudou em ti, que se passa por ai
Até o emprego que tu tinhas, tu bazaste só assim
Faltas consecutivas, birras com as colegas
E para o fim já lá ias, sobre o efeito dessa merda
Tu eras bem diferente, bem disposta sorridente
E ver-te sair à noite acontecia raramente
Mas hoje é quase sempre, os dias não importa
Sempre um carro diferente, a vir-te buscar a porta
Se tu fosses uma old, sempre pura e girou
A beber e a fumar chamon e depois se enterrou
Mas não pelo contrário, até fazias comentários
Como é que alguém hoje em dia podia ser tão otário
Afinal tu hoje tocas, mesmas escalas e notas
De quem fazias troça, não falas em notas
A pastilha traz a moca, a aceleração provoca
E aquilo que mais me choca é tares enterrada na coca
E as tuas companhias que te vejo nestes dias
São dreads que dizias com que nunca falarias
Aqui ninguém dá nada, muito menos nessa vida
Cheira coca todos os dias, já sei qual é a batida

Yo mariana
Qual é o drama, muda de panorama
Yo muda de panorama...

Vídeo incorreto?