De alhambra foi meu chão com o sofrer
Sem ver o ninho das estrelas,
Ate poder tê-las,
Eu, elas e você, e uma enxurrada de águas de amor
Transbordou no mar do peito desse cantador,
E o verso então coube na canção que eu fiz,
Me descobri sorrindo,
Me fecundei feliz, feliz,
Fez-se então xuá de alegria e de paz,
Fiz-me amor o tanto quanto a alma foi capaz
E a flor que já fora rebrotou nova em mim,
Desinventei o não, reaprendi o sim, enfim,
Foi invernia, foi safrejar,
Terras do amor,
Colheitas do bem-amar,
Foi tempo de luz, xuá ...

Vídeo incorreto?