Nasci num barraco
Telhado de zinco
E um fogão de lenha no quintal
Não tinha beleza
Não tinha espaço
Só dignidade que o pai ensinou
Barriga vazia
Suor de batalha
E um pé de esperança que eu plantei
Que um dia deu frutos
Então eu cantei
Pra realizar o sonho que eu sonhei
Se uma porta se fecha
Uma outra se abre
E das coisas do mundo é deus quem sabe
Eu não procuro entender
Pode crer
É preciso ter fé
Suportar o rojão
Vou sorrir vou chorar sem perder a razão

Esta vida da gente se rola e sacode
Não tem diferença se é rico ou se é pobre
Tem que ter talento pra se defender

Esta vida da gente muda num segundo
Tem que estar de fato ligado no mundo
Andando pra frente sem retroceder

Vídeo incorreto?