Dogma astral


O tempo está passando melancolicamente dentro da cortina de vapor, perder-se em êxtase
As pilhas de barras de ouro empilhadas,
disfarçou como arranha-céu na noite

O latão enferrujado foi coberto com folhas de ouro
Metrópole de ilusão está a cair em colapso, A princesa lamentou sobre a patética era dourada do mundo

Ela decora seu corpo com a obscura vaidade
Pela primeira vez nua

Se você decifrar a revelação das estrelas
Ele vai levá-lo para alem do mundo que você conhece

A palavra original que foi revelado como
(O fim do mundo)
As palavras ocultas dos últimos dias são
(O mundo prosperara)

O éter balançando, o elemento do fogo
O vazio da reencarnação faz par com o Akasha
Fantasma da vida astral adormecida
Escrito o nome Ripika , e nomeando-se com ele

Um antigo pergaminho dos jardins foi deixado por seu pai
Cheirava a osmanthus doce
A tinta escreveu a última mensagem de seus momentos finais

Querida minha filha, meu tempo se acabou
Eu atrasei a fiação de um futuro sombrio

Ninguém pode alcançar a honra e a glória com facilidade
Seus desejos serão sua queda ea sombra do que foi um dia

A palavra original que foi revelado como
( O fim do mundo)
As palavras escondidas dos últimos dias são
(O mundo prosperara)

O éter balançando, elemento do fogo
O vazio da reencarnação faz par com o Akasha
Fantasma da vida astral adormecida
Escrito o nome Ripika, e nomeando-se com ele

A presença de um deus nos engana
Só salvam aqueles que rezam e acreditam neles
A evolução parou por culpa das pessoas ignorantes

A carruagem decorada brilhava pelas fogueiras
O vapor de ouro ilumina a cidade

Se você decifrar a revelação das estrelas
Ele vai levá-lo para alem do mundo que você conhece

A palavra original que foi revelado como
(O fim do mundo)
As palavras escondidas dos últimos dias são
(O mundo prosperara)

O éter balançando, o elemento do fogo
O vazio da reencarnação faz par com o Akasha
Fantasma da vida astral adormecida
Escrito o nome Ripika, e nomeando-se com ele