Refrão...
Oh bruguela xouxinha,
Corpo de maraváia,
Não me dê brusuleta
Vê se num avacaia.
Me dá arrelia
Duma bulinage
Cavilage, traquinage,
A melhor estripulia.

Vamos se atracar
Seja aqui, em qualquer lugar;
Num quarto de alcôva,
Na sala-do-cupiá
Inriba da cipuadeira,
Enrolado numa esteira
De páia de carnaúba,
Chupando Macaúba,
Debaixo da Ingazeira

Nosso chamego
Pode ser analfabeto,
Ou viver um dialeto
Que não se proseia mais.
Você tendo eu por perto
Nosso linguajar é certo
Não ficas no caritó,
Nós se enrosca e dá um nó
E num afróxa nunca mais.